PÁGINA INICIAL

sexta-feira, junho 13, 2008

Eis a bike conquistando espaços.
Projeto:
Pedalando pelo Rio Paraíba do Sul.
(Parte II)

Eu, poderia escrever aos ventos, sem me importar: afinal é gosto. Mas quando alguém passa para mim que faz leituras do que escrevo, sinto gratidão. Pelo motivo de acreditar na teoria da preciosidade, inestimável, do tempo.
No início dessa semana fui convidada a participar de forma direta, a estar escrevendo (exatamente pela pessoa acompanhar minhas escritas), sobre um projeto que vi e considerei de grande valia: não apenas para o lado pessoal dos que estarão realizando, mas para o bem comum, também.
O convite chegou, praticamente, em cima da hora e me pegou atrapalhada (o que, aliás, isso para mim não é mais novidade, então não seria obstáculo) e sem o conhecimento para atuar.
Bem, para aceitar o convite, conseguir adquirir certo conhecimento, na teoria, não seria complicado. Como conseguir ajuda (o que, aliás, pedi e tive resposta positiva, que receberia: ajuda).
Mas eis que ao buscar o conhecimento, teórico, descobri que é preciso mais que, simples, teoria. É preciso essência! Algo que vem de dentro... Que é vivido, praticado, adorado, sentido...


6 comentários:

Angel Tostes disse...

Muito legal, Sandra! Só me apavorou a foto da jibóia! Horrenda!
Ainda mais de boca aberta...rs
Queria saber quando a dupla vai sair...

Monique Eccard disse...

Querida amiga, coitado do André...rsssss depois desta jibóia ele vai pensar "duas vezes" antes de cruzar qualquer caminho.. na viagem, princpalmente a noite..rssss
Toamra que Dona Neuza só veja esta ´publicação no retorno do filho!!!
Ave Maria!!!
André força amigo!!! A vida é superar obstáculos...heheeee....
Com certeza Sandra fez na melhor das intenções de lhe alertar..sobre os acidentes de percussos...que vc e seu parceiro irão vivenciar e superar com uma vitória linda!!!!!!!!!!

Sandra Valeriote disse...

Meninas: Algel e Monique,
Vamos ao “x” da questão sobre essa cobra (ou el cobron – como disse a Monique – Aliás, Monique, de onde você tirou essa fala????).
Bem, é o seguinte:
Realmente recebi essas imagens com a notícia, no início desse ano, de que essa cobra havia aparecido no município de Resende-RJ as margens do Rio Paraíba do Sul.

Não acho que essa cobra seja uma jibóia, sendo que jibóias já apareceram algumas no morro atrás da minha casa. Já aconteceu publicação sobre tal assunto aqui:
http://saojosedeuba.blogspot.com/2007/11/fica-hoje-entre-nossos-arquivos-esse.html#links
Aliás, tem até história: havia uma gatinha (uns 3 anos passados) que vivia no meu quintal e estava cheia de filhotinhos, já grandinhos. Certo dia, ouço gritos (era para ser miado...né?! – mas, acreditem, a coisa parecia grito de gente)... Pois bem, quando vou olhar o que estava acontecendo no meu quintal, era nada mais, nada menos, uma jibóia com o filhotinho da gatinha já toda enrolada.
Ai meninas, que cena triste; a gatinha/mamãe gritava, dava chiados, pulava de um lado ao outro – nem sei como definir aquilo – dava pra sentir a dor imensa dela vendo o filhotinho já enrolado na jibóia. Quando fui prestar atenção no filhotinho, para ver se conseguia fazer alguma coisa, já não existia mais movimento algum – a jibóia já havia quebrado todos os ossinhos dele :´(... Vendo cenas assim de animal considerado irracional, fica difícil entender mulher racional destruindo filhos.


Mas voltando ao assunto, acho que essa cobra está mais para sucuri ou anaconda, que seja. E essa espécie não pertence a nossa região: o habitat natural dela é para os lados da Amazônia, Pantanal (bem longe da gente). Pode até acontecer de existir por aqui, ou mesmo espécies de outra região aparecer em outro local. Mas essa, em questão, existe controvérsias, lógica, de ter surgido em Resende-RJ como foi jogado na internet – tal informação.
Ver matérias, caso interesse:
http://www.cabreu.com.br/noticias_ler.php?Cod_Noticia=63
http://www.resende.com.br/703/enfim-a-anaconda/

De qualquer forma é preciso está atento... Talvez eles lá no momento de arrumar as coisas pudessem estar preocupados com alimentação, roupas... e se esquecendo de levar algo para resolver alguma situação complicada...
Rezem para o anjinho da guarda de vocês pedindo para tirar essa cobra da cabeça.
A cicloviagem deles será um sucesso!!!

Um abraço com carinho.

Sandra Valeriote disse...

Alteração: Leia-se "Angel"

Angel Tostes disse...

Vixe, Maria!
Mas, que cobron maldito!
E vc não teve medo do bicho no quintal?
Acho q meu instinto me levaria a correr muito, muito, muito ou evaporar, se pudesse...rsrs

Sandra Valeriote disse...

Além da jibóia não ter veneno, Angel, ela favorece em limpezas.
Mas assusta, sim, apenas por ser cobra.
Agora, em momento de desespero você fica cega e aproxima.
Imagine você vê uma cobra enrolada numa criança ou mesmo alguém que esteja precisando da sua ajuda...
Medo??? Desaparece na hora.

Mas não imagina isso não... tem muita coisa legal e melhor pra ser imaginado rsrsrs

Fica com Deus